|            |            |            |            |      

Bio

A história que as gentilezas no twitter fez acontecer!









Vira arte
A primeira História


criada por Ancerg


Pai se inspirou

Matéria do Diário de São Paulo 07 de Outubro 2007 Por Fabricio Calado Moreirafabricio.moreira@diariosp.com.br BEIJOARTHUR

Há 12 anos, o pintor e poeta pernambucano José Evaristo Ancerg vê beleza nas deficiências dos outros. Inspirado pelo filho Arthur, nascido surdo e com Síndrome de Down. Ancerg criou uma história que os protagonistas são super heróis portadores de necessidades especiais como deficiências mentais,físicas e visuais. Os quadros que pintou usando o material doado por Kathy Janos, empresária e admiradora de sua obra -,Ancerg usa para ilustrar os cenários e paisagens da aventura Imaginada por ele e que é contada às chamadas crianças normais. "Todo mundo adora um herói e precisamos deles para nos influenciar e sermos adultos melhores", explica ele. O truque do poeta, morador do bairro do Cambuci, é não contar logo de cara as particularidades dos protagonistas. "A não ser pelo personagem cego, as crianças só descobrem que os outros têm necessidades especiais no final da história. E ai Elas, já se apaixonaram por eles."


Falta de apoiadores


O apoio ao trabalho de.Ancerg é escasso. ''Todo mundo ouve o nome Ancerg e acha que se trata de uma ONG. Quando descobrem que sou só uma pessoa, ninguém me ouve', lamenta. Se as coisas fossem diferentes, ele não teria dificuldades, por exemplo, para pagar os RS 800 para a fonoaudióloga que seu filho precisa. A sorte do pintor e de seu filho podem mudar em breve. Recentemente, membros da União Européia em busca de um artista plástico que desenvolvesse um projeto social , tomaram conhecimento de Ancerg e demonstraram um interesse em conhecer mais o seu trabalho pela inclusão social. Eles voltaram à Europa com um CD com apresentação do portfólio do artista e a promessa de fazer o contato em breve. Enquanto isso, por aqui, Ancerg continua a alimentar seu sonho de transformar suas histórias em livro, DVD e CD.

1486511132_054354a7fb_b

Um garoto com um dom natural


• Portador de Síndrome de Down e surdo. Arthur Felipe, de 12 anos, nasceu com uma habilidade: a de decorar trajetos. "Ele só sai por onde ele entra. Para onde você vai com ele, ele decora. “É uma compulsão para ele". conta o pai do menino. o pintor e poeta José Evaristo Ancerg . O artista lembra de uma ocasião quando Arthur. Então com oito anos, fugiu de casa e foi parar na Rua 25 de Março.Ele havia saído de casa as 13 hs e foi reencontrado as 14 horas pelas policiais da delegacia da mulher. Que foi levado ao S.O.S Criança onde Ancerg o encontrou as 2 horas da madrugada .
A Arte imita a vida

Além de ter inspirado o pai a criar o "Projeto Sob o Olhar o Observador, de histórias onde os Protagonistas são portadores de necessidades especiais, Arthur é um dos personagens do conto criado por Ancerg.Na fábula, As crianças deficientes são banidas do convívio com a população. O Arthur da história é um príncipe, também com Down, à procura da pedra mágica que livrará seu reino de um feitiço, ao final da história . O talento do filho foi aproveitado na história de Ancerg. "Ele encontra as sete crianças dentro de um labirinto e vai saindo com elas de lá", conta o autor. No caminho, o príncipe encontra outros portadores de necessidades especiais, como um autista que decifra enigmas e um garoto cego que salva a cidade de uma tragédia. A moral da história, para seu autor, é: "Deficientes somos nós, que não conseguirmos enxergar a beleza na diferença do outro!"














Entrevista feita por Ângela Márcia Marconato 12 de outubro de 2007
Jornal do Cambuci & Aclimação

“Artista do Bairro é apresentado à comunidade Européia”

1485643817_d1baff180e_bggggggggg



O artista plástico, pintor, escultor, escritor, design gráfico e cantor José Evaristo de Ancerg de 38 anos, chegou em São Paulo no ano de 2002 e vem trabalhando com o "Pro­jeto Sob o Olhar do Observa­dor". Começou a pintar quan­do tinha 12 anos e aos 16 anos foi selecionado no salão dos "Novos", em Pernambuco. Dentre suas pinturas famo­sas consta, o retrato de Maite Proença, Jô Soares, Júlio Igle­sias e Hebe Camargo, onde foi recebido pela mesma no seu programa,mais tarde foi apa­drinhado com seu projeto por Geraldo Azevedo e Elba Ra­malho.


Em 1995, após ter re­tratado o tenor italiano Lu­ciano Pavarotti, com o nas­cimento de seu filho Arthur Felipe, portador de Síndro­me de Down, ele criou o con­ceito de herói, como referên­cia para outras crianças não portadoras de necessidades especiais em uma história de aventuras que os protagonis­tas são crianças especiais. Ele transforma as deficiências em qualidades e os personagens em heróis. A i déia era dar uma re­ferência positiva às crianças não portadoras de necessi­dades especiais. O leitor se apaixona pelo herói da histó­ria e se pergunta: "como gos­taria que ele existisse na vida real"! E eles existem! No final da história existe um Casting, (o elenco da história) onde a criança descobre quem foi inspiração para o persona­gem.


Na história figuram, portadores da Síndrome de Down, autistas, cegos e ou­tros personagens não "espe­ciais". Tudo isso seria trans­portado para um livro, CD e DVD. Mesmo sem finalizar a logística, ou seja, toda a cria­ção da ferramenta de ensino para o educador, ele realizou "oficinas palestras" para que os educadores entendessem a necessidade de ter uma crian­ça especial na sala de aula. Dia 28 de setembro, An­cerg foi escolhido para apre­sentar o seu projeto à Comu­nidade Européia, por ter sido um artista plástico que crio um projeto de inclusão social inovador. Com cinco filhos, ele luta pela inclusão do próprio filho que além da Síndrome de Down, não ouve, e para tanto o filho precisa aprender linguagem de si­nais, precisando de uma fo­noaudióloga com especialida­de em libras. Ancerg é um Pernambu­cano que 'ama a arte e diz que quando pinta um retra­to, traz a essência e a alma da pessoa.


A sua vida não foi fácil e apesar de todos os aconteci­mentos ruins, trás um coração cheio de gratidão. Lembra que no ano de 2003, estava passan­do por uma situação difícil, e procurou o jornal do Cam­buci & Aclimação e pediu para o Diretor Roberto Cas­seb, uma pequena nota sobre os seus trabalhos e projetos e para sua surpresa, encon­trou uma matéria com pági­na inteira que abriu inúmeras portas. Hoje é uma das ma­térias mais vinculadas na in­ternet. Na época também re­cebeu uma ajuda do Sr. Vitu­zzo, por ter cedido um aparta­mento para ele, esposa e seus quatro filhos, mesmo sabendo que Artur Felipe tinha que ser operado às pressas. Ele deu palavra que após a operação do filho, sairia do imóvel, de­pois disso morou em um lu­gar perigoso na Rua Becker. Em desespero, ficou do outro lado da rua, pintando e cantando, e cantou áreas de ópera, Si­natra, Nat King Cole, e para cada pessoa ao redor da casa, fez um quadro. Com o dinhei­ro conseguiu alugar o imóvel que mora hoje. Além do projeto, ele esta escrevendo um novo livro, visto que já vendeu os direi­tos autorais de sua primeira história na Dinamarca com a ajuda de sua Agente Pia Vangberg,“Pequenas Histórias Re­levantes". Também faz edi­ções de vídeos áudio e es­pera conseguir recursos sufi­cientes para montar uma boa exposição para venda. Recentemente cantou no restaurante "1020", e o pro­prietário o Sr. Euro, com o qual tem muita gratidão, ce­deu um espaço para suas pin­turas.
Digitalizar0006
7685

7115
certificado Arthur2 A baptism between the lights and the angels Cópia de JaneandArthur OLYMPUS DIGITAL CAMERA          OLYMPUS DIGITAL CAMERA          Slide32 The Knight_oil Portrait by J.E. de Ancerg